A freguesia dos Anjos, situa-se a 10 Km SE da sede do concelho, ocupando uma área geográfica de 1644 hectares. O seu território progride no sentido NE-SW, descendo a encosta sul da serra da Cabreira. Tem início no seu ponto mais alto (o Talefe) a 1241mts de altitude, sendo a margem esquerda da ribeira de Vilarchão até Santa Marinha (Rossas à cota 400) o seu limite a norte. Aqui, confronta ainda do lado poente com uma pequena parcela do lugar de Figueiró, freguesia do Mosteiro. A restante área a sul é abraçada pela freguesia de Rossas até ao extremo nascente, onde confronta com a freguesia de Ruivães.

Sendo uma aldeia de montanha, aqui nascem inúmeros regatos que confluem para as linhas de água mais caudalosas como a ribeira de Vilarchão e o Rio Ave. As áreas urbanas e agrícolas desenvolvem-se próximo da cota 600, pelo que as culturas predominantes se reduzem ao milho e hortícolas para consumo caseiro.

Origem Histórica

A Arqueologia e a Toponímia garantem-lhe uma antiguidade de povoamento muito anterior ao Sec. XII. No dizer do Padre Luís Cardoso ” fica ao pé  da serra da Pena-Mourinha e o Crasto que antigamente foi castelo, de que entre as ruínas conservam alguns vestígios. Há aqui vestígios de outro castelo com seu fosso, a que chamam Crasto Medoeiro”. O nome antigamente era NIZOLA, e assim consta no inventário dos bens vimaranenses do século XII. As inquirições de 1200 citam-na inclusa na paróquia de “Sancto Johanne de Veeira”. O padre José Carlos Alves Vieira descreve na página 362 da sua notícia histórica e descritiva, uma outra versão da toponímia desta freguesia, com origem na lenda de uma mulher chamada Ana, que em tempos remotíssimos estabeleceu ali domicílio e viveu longos anos só: “Ana e só, meu senhor” terá ela respondido a um cavaleiro que por aí passava em viagem. Daí acabou por derivar a designação da localidade de Anissó, pela repetição contínua desta resposta lendária. Refere ainda a existência de três lugares: Anissó, Povoinha e Maceira.
Nas memórias paroquiais de 1758 são contabilizados setenta e oito fogos.
Actualmente existem os seguintes lugares: Cabo de Além, Calvário, Carvoeiras, Maceira, Poço, Tapado e Povoinha.

Património

A igreja paroquial, localizada na parte alta da freguesia no lugar de Calvário, tem por orago a Nª Sr.ª da Esperança. Existem alminhas em Maceira, Carvoeiras e Cabo D’Além.

No domínio Cultural, é de salientar a acção da ARCA – Associação Cultural e Recreativa de Anissó, dinamizada por um grupo de jovens que vêm desenvolvendo de alguns anos a esta parte um conjunto de actividades culturais e recreativas. A construção da sua sede social, está em vias de se concretizar.

A festa em honra de Nª Sr.ª da Esperança no 2º domingo de Agosto e a festa do Sagrado Coração de Jesus no último domingo de Junho são as manifestações religiosas e culturais de maior relevância.

Imóveis de interesse patrimonial

Crasto: situa-se no lugar de Calvário. Há vestígios de existência de dólmens ou antas; Outeiro Fortificado: existem sinais de muro de defesa; Igreja Paroquial: em Calvário, salienta-se a existência de um bonito e elegante altar-mor; Cruzeiro, no lugar do Calvário; Alminhas em pedra, no lugar de Maceira.         

Casas de interesse patrimonial: Aglomerado Rural, no lugar do Calvário. Tem várias casas com interessante arquitectura rural em que sobressaem as suas linhas sóbrias e onde se evidenciam os canastros em pedra.

Outros locais de interesse turístico

Castro de Pena Mourinha