A freguesia de Campos situa-se a cerca de 32 Km ENE da sede do concelho de Vieira do Minho, ocupando uma área de 1313 hectares. O rio Rabagão e a freguesia de Ferral do Concelho de Montalegre constituem o seu limite geográfico a Norte. Ruivães apresenta-se a Poente e Agra (Rossas) a Sul, enquanto a Nascente é a Barragem da Venda Nova e Salto(Montalegre) que delimitam a sua fronteira. Os aglomerados rurais concentrados de Campos e Lamalonga têm  uma tipologia já marcadamente transmontana e a sua localização nas cotas 820 e 860 respectivamente condiciona naturalmente o tipo de actividades agrícolas aqui desenvolvidas. O nome desta freguesia adequa-se à grande quantidade de prados virados a sul, onde predomina a cultura do milho e centeio, sendo a pecuária (sobretudo do gado de raça barrosã) preponderante na subsistência de quem ainda se dedica ao sector primário. Os paúis existentes na encosta sul até à ribeira da Lage produzem pastos naturais de elevada qualidade.

 Terra de transição entre o Minho e Trás-os-Montes, a aldeia de Campos conserva um núcleo concentrado de habitações tradicionais, assim como um património valioso e uma paisagem natural excepcional. Com uma localização privilegiada por entre montes e campos, a aldeia oferece excelentes condições a quem procura um contacto directo com amplos espaços e conviver com o mais puro que a vida rural pode oferecer. Aqui, os pontos que merecem ser visitados são os Fornos Comunitários, local onde antigamente se refugiavam os pobres que passavam por Campos, a Igreja de S. Vicente de Campos, os vários espigueiros, as Alminhas e algumas casas de granito que datam do século XVIII.

 O carvalhal do Esporão, já próximo do limite com Linharelhos, é uma relíquia verde e um espaço aprazível de que esta freguesia se orgulha e tem procurado salvaguardar. Aqui fica o campo de Jogos e o parque de merendas, apetrechado com pontos de fogo, água e mesas adequadas, constituindo um espaço de lazer muito procurado nos períodos estivais.

 Dadas essas características, a aldeia de Campos foi classificada como “Aldeia de Portugal”, em 2005, pela Associação de Turismo de Aldeia (ATA).

Origem Histórica

Primitivo povoamento pré-histórico (restos de crastos). Nos começos da nacionalidade estava incluída no julgado de Borba de Barroso, depois concelho de Ruivães, onde ainda permanecia conforme registos nas memórias paroquiais de 1758. Nessa altura, era povoada por trezentos e cinquenta habitantes distribuídos por sessenta e sete habitações. Em 1925, há referências que indicam a existência de quatrocentos e quarenta e três almas distribuídas por cento e quatro fogos.

A igreja matriz de antiquíssima fundação tem por orago S. Vicente e aparece com vigararia de apresentação do reitor de Viade até à extinção dos coutos, passando seguidamente à Coroa e desta, por doação à Casa de Bragança.

Nos tempos da corrida ao volfrâmio, esta freguesia conheceu períodos de grande prosperidade e folgança financeira não só pela proximidade das minas da Borralha, como também pela existência de jazidas daquele minério em vários locais. Ainda são observáveis as ruínas da Lavaria e outros edifícios de apoio na zona da Quebrada, nas Cruzinhas e noutros locais.

Imóveis de Interesse Patrimonial

  • Dois Fornos comunitários um no lugar de Lamalonga sendo coberto de pedra lavrada a pico e outro no lugar de Campos.
  • A Igreja Paroquial de São Vicente é um belo exemplo da arquitectura religiosa barroca e neoclássica, tem Torreão e apresenta uma interessante traça arquitectónica na sua fachada principal, destacando-se o retábulo esculturado com nicho que alberga a imagem da Nossa Sra. Da Conceição em granito.
  • Capela de Santo António em Lamalonga tem na sua frente uma escultura em granito representando um frade.
  • Cruzeiro, situa-se a poente da Igreja paroquial e foi construído a partir de um arco miliário romano da antiga Geira

Casas de interesse patrimonial

  • Casa das Fintas ou das Rendas (bom exemplar da arquitectura popular, apresentando uma janela ladeada por 2 caratonhas)

  • Casa do Lopes (tem um forno todo em cantaria);

  • Casa da Fonte; casa do Calado (ostenta soleiras e cornijas de boa cantaria) e casa do Tanque, todas no aglomerado rural de Campos

  • Aglomerado rural de Lamalonga

  • Conjunto de Azenhas e Canastros em boa cantaria (situam-se em Campos e Lamalonga, constituindo interessantes exemplares etnográficos, que devem ser preservados no nosso património). 

Outros locais de interesse turístico

Carvalhal do Esporão, Quebrada (ruínas de volfrâmio e praia fluvial), ribeira da Lage, Serra da Cabreira (lado nascente), Albufeira da Venda Nova (junto à barragem do Cambedo, onde existe um parque arborizado) e fornos do Povo de Lamalonga e Campos.

Esta freguesia é composta pelos seguintes lugares:

Cambedo, Campos e Lamalonga

Festas e Romarias

Santo António – 2º Domingo de Agosto ( Lamalonga).