A freguesia dos Anjos, situa-se a 10 Km SE da sede do concelho, ocupando uma área geográfica de 1644 hectares. O seu território progride no sentido NE-SW, descendo a encosta sul da serra da Cabreira. Tem início no seu ponto mais alto (o Talefe) a 1241mts de altitude, sendo a margem esquerda da ribeira de Vilarchão até Santa Marinha (Rossas à cota 400) o seu limite a norte. Aqui, confronta ainda do lado poente com uma pequena parcela do lugar de Figueiró, freguesia do Mosteiro. A restante área a sul é abraçada pela freguesia de Rossas até ao extremo nascente, onde confronta com a freguesia de Ruivães.

Sendo uma aldeia de montanha, aqui nascem inúmeros regatos que confluem para as linhas de água mais caudalosas como a ribeira de Vilarchão e o Rio Ave. As áreas urbanas e agrícolas desenvolvem-se próximo da cota 600, pelo que as culturas predominantes se reduzem ao milho e hortícolas para consumo caseiro.

Origem Histórica

É anterior à nacionalidade o povoamento do território desta freguesia como se deduz da arqueologia crastreja das imediações. A designação primitiva era “Santa Maria dos Ladrões”. O Padre José Carlos Alves Vieira refere que não é freguesia de anjos mas de endiabrados caceteiros, situação que se desvaneceu no tempo, sendo agora povoada por gente afável e de bom trato.
A freguesia foi do concelho de Rossas (foral manuelino de 23-10-1514) até à sua extinção em 1836. Por volta de 1705, o Padre António Carvalho da Costa refere na sua corografia que rendia cem mil réis e tinha quarenta vizinhos.

Património

A Igreja Paroquial é uma interessante construção do século XVIII com torreão, tem por orago Santa Maria; existem alminhas no lugar de Carude junto à Igreja Paroquial e duas capelas: a da Sr.ª da Boa Morte em frente ao cemitério e a Capela da Sr.ª do Socorro no lugar de Souto.

Anualmente, promove-se aqui uma festa que é muito concorrida pelos devotos de Santa Luzia, milagreira de doenças da vista. Esta devoção está intrinsecamente enraizada no cariz religioso do povo desta freguesia e freguesias limítrofes, razão pela qual esta festa tem data fixa a 13 de Dezembro.

A Ponte medieval no limite da freguesia com Vilarchão também merece registo.

Casas de interesse patrimonial

  • Aglomerado Rural de Carude inclui casas com interesse etnográfico, com características exemplares da nossa arquitectura popular, havendo vários canastros de interessante cantaria.
  • A casa do Pedra no Souto; a casa de Riba em Fundevila; a casa do Courado, a casa do Barroso e a casa da Cancela em Carude;
  • Capela da Senhora da Boa Morte, Capela da Senhora do Socorro e Igreja Paroquial 

Outros locais de interesse turístico

Ribeiro da Pértega, Moinhos, Açude de Lubazes e outros na Serra da Cabreira;

Esta freguesia é composta pelos seguintes lugares:

Cabo, Carude, Carvalha, Casal de Mouro, Cernados, Codeçais, Fundevila, Outeiro, Pomar Grande, Portela, Ranhadoiro, Rojói e Souto.

Festas e Romarias

Stª Luzia – 13 de Dezembro
Sagrado Coração de Jesus e Srª de Fátima data variável em Agosto
Srª do Socorro – data variável em Agosto